quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Luz para qualquer um

Nos cantos escuros da alma de qualquer um,
Uma luz vinda não se sabe de onde
Calor sagrado do Homem Deus, Deus Homem.
Ilumina tudo.


Nos tortuosos caminhos do ser,
Um Amor acalenta o interior
Desmonta a ansiedade pagã.
Desfaz todo luto.

O calor sagrado do Criador
Convida a mais um dia de Amor,
Não se perca em suas elucubrações,
Não mate o bem que te quer todo.

Um chamado,
Ser Dele,
Sem perguntas,
“O Senhor é meu pastor e nada mais quero.”

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Deus,


Deus,

Em um ato redentor,
Antes de haver mundo,
Salvou uma criação ainda a existir,
Com tão grande amor,
Mesmo antes de existir a dor,
Mesmo antes que alguém disse-se eu,
Ele já providenciou tamanha redenção.

Nós,
Humanos caídos,
Existido em um limbo,
Sofremos de nostalgia do eterno,
Sofremos querendo ser amados,
Dor e lágrima,
Mascaras,
Criamos um mundo,
Feito de compra e venda,
Chamamos isso de vida.

Deus,
Com tão grande amor,
Por uma graça eterna,
Fez a eternidade habitar conosco,
Na cruz mostrou ao mundo a salvação,
Uma salvação já existente,
Antes que existisse mundo.

Thiago Mendes.


Pela Graça...

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Perdoado.




De andar letárgico entre os campos da estiagem,
Sem chuva torrencial na alma,
Lava a roupa pra vida de amanhã,
Despido de sol nessa imensa viajem.

É só, mas nunca só em complexidade,
É limpo, mas os pés sujos pelo andar da viajem,
Sendo lavado pelo amor que cobre o pecado,
Andado sempre como quem não está aqui de verdade.

Perdoado, afortunado pelo imenso sacrifício,
Bem aventurado, pelo filho que o tomou do laçado,
Que o limpou da viajem,
Que o tirou do peso eterno do extenuante oficio.

Cantando pro luto “Não mais me enlutaste”,
Assoprando a ferida do mundo,
Arrastando ao Eterno muitos,
Pelo sal que se tornou quando se entregaste.

É luz que não sabe que é,
Na vida que da vida abraçaste,
No perdão que sempre o alcançaste,
Do Eterno que sempre o amaste.


Thiago Mendes

Obrigado Jesus pelo perdão sempre presente, pelo amor nunca ausente, obrigado.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Vivência, vivendo se vivencia.



O amor vem e toma o seu lugar,
O lugar de sempre,
Sempre o lugar de amar.

A vida completa a sua beleza,
Beleza completa,
Completa vida de leveza.

O dia ilumina o ser,
O ser que se iluminará,
Naquele dia que a luz nascer.

O amor, a vida, o ser,
Jesus e sua leveza,
Em mim nunca deixará de nascer.

Isso que é beleza verdadeira beleza de se viver.

Thiago Mendes

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

A vida vem do Rapaz de toda paz.





E o silêncio de morte é quebrado,
não sei se neste instante não esperado,
se na esperança do finado.

E o crepúsculo da vida é adiado,
e forrado de flores amarelas,
que não cobrem a morte delas.

E o corpo de morte vivificado,
e o homem tomado,
do significado do que se chama pecado.

E a morte não mata mais,
quem no madeiro encontrou paz,
e só se ouve a voz do rapaz:

“Tirai a pedra e vem pra fora!”


Thiago Mendes

Ouse crer e terá a vida verdadeira.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Acordar



Acordei daquele lado oposto da dor,
distante do lado subversivo do medo,
longe dos acordes melancólicos do pavor
bem perto do que se chama “amor sem fardo”.

Acordei numa distancia eterna das distancias dos seres,
de braços com o que se chama “laços do desejo”.
Respirei fundo as funduras dos reais prazeres,
Admiti a dor essencial humana no peito/segredo.

Acordei para acordar a alma para os mundos distintos de Deus,
assimilei a alva como que dança valsa nos salões eternos.
De susto despertei e com graça matei os desesperos teus,
de súbito percebi que só me vejo nos reflexos de teus olhos ternos.

Thiago Mendes

Crucificação/Redenção



Deus, doçura que me salva, e seduz a alma
conduz o desesperado ao descanso sem fardo.
Completa a alma de vida/amor e calma.

Deus, morto numa cruz, está consumado,
o apocalipse invade a alma, e ela se completa.
Neste fato, mundo concluído/acabado.

Deus, me surpreendes quando me apresentas
Tanta gente boa com brilho de eternidade nos olhos.
Me consome de alegria essas presenças.

Deus,

Eternidade.

Thiago Mendes